Eleições na ASPOM-Timon



Texto copiado da introdução ao ESTATUTO DA ASPOM-ASSOCIAÇÃO DE POLICIAIS MILITARES DE TIMON.

Adaptado por SD PM/01 Manoel Guimarães Filho. Timon, - MA. 2006

Caminhos e descaminhos de uma associação...

No terreno das concepções sobre os objetivos, históricos, das associações de trabalhadores e seus significados, é grande a confusão... Uma associação não é qualquer coisa, não existe apenas por imposição... Sua existência é legitima e legal, está amparada nas leis brasileiras. “Esse mesmo conjunto de leis, garante às associações a legitimidade necessária para a defesa dos interesses gerais de seus associados”. Logo uma associação deve,se houver necessidade,exercer o direito e a obrigatoriedade de,em qualquer instancia, defender seus associados... Bem como participar de, e propor diretamente, políticas que lhes afetem.

“Ou seja: É a associação, perante os poderes constituídos, que faz a defesa de seus associados”.

Vemos essas ligas de trabalhadores, antes de tudo, como centros organizadores, focos de resistência das forças trabalhadoras, organizações destinadas a dar-lhes sua primeira educação de classe.

A força de uma associação de trabalhadores depende, de fato, em grande parte, embora decerto não exclusivamente, da consistência das consciências dos que a ela aderem: quanto maior for a adesão explícita, tanto maior será a possibilidade de fazer pressão sobre as partes adversárias com o fim de obter benefícios para os representados e consideração ou poder,bem como reconhecimento e prestígio,para os representantes. E quanto maiores forem os êxitos e resultados que a associação apresentar,alcançar,tanto maior  será a probabilidade de alcançar novas adesões,que depois farão aumentar a sua força.

 O fato dos trabalhadores dispersos e em concorrência mútua, começarem a atuar conjuntamente, parece-nos de importância fundamental. Vemos aí, a garantia da transformação da classe trabalhadora em uma força independente. Está claro, para nós, que a única força social do lado dos trabalhadores, é a sua massa, sua união, seu número. Mas a força da massa dissolve-se facilmente quando há desunião. A desunião entre trabalhadores é o produto e o resultado da inevitável concorrência entre eles próprios. As associações nascem precisamente para eliminar, ou pelo menos reduzir esta desunião, a fim de que possam alcançar melhores condições de trabalho e de vida e que os coloquem um pouco acima da condição de semi-escravo.

Uma associação não é, e nem pode ser, uma organização apolítica e neutra. O centro do combate são as concepções que procuram reduzir as associações ao nível puramente esportivo-recreativo, sem ver a inevitável e orgânica vinculação da luta das associações por melhores condições de vida dos trabalhadores. É este o papel histórico a que elas estão destinadas. A associação que devemos defender (construir) é associação unitária, unificada e de luta. Basta de organizações festeiras, alienadas e apáticas que há muito traíram a sua finalidade primeira.

Além de seus fins primitivos, uma associação deve aprender desde já a atuar de maneira mais consciente, como eixo da organização da classe que representa. Deve apoiar e fomentar todo movimento político ou social que se encaminhe diretamente para melhorar a vida dos trabalhadores. Deve procurar atrair os que se encontram fora dela.

Uma associação deve ser, nas mãos dos trabalhadores, o “eixo da luta” junto ao poder político pela melhoria das condições de trabalho,diminuição da carga de trabalho semanal  e  melhorias salariais, inclusive.

Como já dissemos, as associações contam, em geral, com um dos fatores de sucesso: a quantidade.Mas a quantidade somente faz sentir seu peso,quando unida pela organização, guiada pela inteligência,pelo preparo ideológico e pela coragem.

Uma associação não pode se dar ao luxo de omitir-se das questões inerentes à vida de seus trabalhadores, deve estar diretamente envolvida na busca de soluções para os problemas que afligem seus congregados e suas famílias. Uma associação comprometida com seus princípios é um valoroso instrumento de luta, de construção de direitos dos trabalhadores, de transformação política e social.




A COORDENAÇÃO GERAL DA ASSOCIAÇÃO DE POLICIAIS MILITARES DE TIMON-ASPOM,nas pessoas de seus coordenadores gerais SD PM/02 P MENESES E SD PM/07 ALEXANDRE LEITE, torna público a toda a comunidade policial militar do Estado do Maranhão, que no próximo dia 11 de janeiro de 2015(domingo) acontecerá eleições gerais para a escolha da  DIRETORIA COLEGIADA DA ASPOM, que dirigirá os rumos de nossa associação pelo próximo bienio 2015/2016. Informa,ainda,que na mesma oportunidade será feita a escolha dos integrante do CONSELHO FISCAL DA ASPOM,orgão fiscalizador das ações da diretoria colegiada.

Informa ,por fim,que ,como não houve outras interessadas esta será uma eleição de chapa única ,que tem como unica inscrita ,a chapa “UNIDOS SOMOS MAIS FORTES”.

Seguem os nomes que integram a chapa candidata:

COORDENAÇÃO GERAL

CB Francisco RAMUALDO de Mesquita Santos
SD HERON dos Santos Félix Sudário

SECRETARIA GERAL


CB Francisco da Silva TORRES
CB HUGO Leonardo dos Santos Nunes

COORDENAÇÃO DE FINANÇAS

SD Maria da CONCEIÇÃO Araújo de Sousa
SD Raimundo Nonato Pereira MENEZES

COORDENAÇÃO DE ASSUNTOS JURÍDICOS

SGT DEUSAMAR da Silva Rocha
CB Manoel GUIMARÃES Filho

COORDENAÇÃO DE ASSUNTOS CULTURAIS E EVENTOS

SD Alexandre Henrique Rios LEITE
SGT Ednelson Antonio Nunes DANTAS

Timon-ma, 07 de janeiro de 2015

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Companhia Independente da PMMA( Amarante): Conclusão das primeiras turmas do PROERD em Sítio Novo no Maranhão

INTOLERÂNCIA MILITAR

2º Reunião da Comissão do governo com os militares: Principais Deliberações