PM garante a Paz no carnaval do Lavo Prato em S. José de Ribamar

Lava Prato 
Ontem(23/02), a Polícia Militar do Maranhão garantiu a paz e a tranquilidade no encerramento do Carnaval 2015, na cidade balnearia de São José de Ribamar a 30 km de São Luís.

O Lava Prato é o último dia de carnaval do Maranhão. Acontece todos os anos no primeiro final de semana após a quarta-feira de cinzas. O evento é tradicional no município e arrasta dezenas de milhares de foliões de todo Estado e fora dele. É a maior festa carnavalesca do Maranhão. 

A PM junto com o Corpo de Bombeiros montaram um poderoso esquema de segurança que funcionou de forma brilhante. Com cerca de mais de 500 militares, o folião brincou com a maior tranquilidade. Nenhuma ocorrência de vulto foi registrada no circuito da folia. De acordo com os dados, pelo menos 100 mil foliões estiveram participando no último dia de folia do Lava Prato. 

Para quem esteve no local, notou-se que a multidão era gigantesca. Como observador, blogueiro e jornalista e ao mesmo tempo Policial Militar, que esteva de serviço também pela primeira vez no evento, notou-se a multidão subindo e descendo as ruas da cidade Santuário.

Realmente nunca tinha visto coisa igual, eu que sou de Imperatriz e sempre ouvia dizer que o carnaval de Ribamar era um dos maiores do Estado, não tenho mais dúvida disso. 

O aparato policial foi gigantesco, basicamente mobilizou todo o efetivo da região metropolitana. Pela primeira vez senti no aspecto da carga horaria estipulada um avanço.

Foram divididos o policiamento em três(3) turnos, que na nossa linguagem são 3 QTUs: Das 09:00 às 16:00 horas; das 14:00 às 21 horas e das 19:00 às 02:00 da madrugada. Nós ficamos no 2º QTU(14:00 às 21 horas). O que se notou foi um respeito e valorização do PM com relação a carga horaria no evento. Não teve absurdo e nem sugação do efetivo. Tivemos horários para entrar e sair, coisa que a tempos atrás não se observava. Nesse quesito o Comando da PM está de parabéns, pois sob compreender que o militar não é máquina. Com o dever cumprido fomos liberado na hora marcada. 

O próprio Subcomandante da PMMA, Cel. Sá, supervisionou pessoalmente o policiamento, mostrando como sempre o contato com sua tropa. Como jornalista, não deixamos de interpelar o oficial, com relação as diárias dos militares que trabalharam no carnaval e nos presídios da capital. O Cel. Sá, disse que falará ao blog ainda hoje e explicará toda a situação e garantiu que todas serão pagas, o problema está na burocracia administrativa. Não perca ainda hoje a entrevista com o Subcomandante da PMMA.

Finalizando. A minha critica ficará somente no lanche que está longe do servido pela prefeitura de São Luís. Após algumas horas de policiamento, o estomago já pedia comida e água. O lanche foi muito mirrado, somente um pão de forma com queijo frio e um refrigerante, ninguém merece. Levando em consideração o calor, o peso da arma, colete, capacete, cassetete e demais apetrechos, o lanche deveria pelo menos ser algo mais reforçado. Só lembrando, quem ficou no 3º QTU, teve um pouco mais de sorte, foi servido o jantar. 

Quem participou do policiamento de carnaval em São Luís, verificou que por lá o lanche foi de primeira, já em Ribamar foi uma pobreza só. Que nas próximas a prefeitura possa entender que os policias precisam de um lanche reforçado, mesmo por que o brilho da festa só foi possível devido os policiais militares e bombeiros do Maranhão. Esses detalhes não podem ser esquecidos. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Companhia Independente da PMMA( Amarante): Conclusão das primeiras turmas do PROERD em Sítio Novo no Maranhão

INTOLERÂNCIA MILITAR

2º Reunião da Comissão do governo com os militares: Principais Deliberações