Deputado Bira propõe uma reflexão sobre o movimento paredista dos policiais e bombeiros militares do MA


 O deputado estadual Bira do Pindaré (PT) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (05), para propor uma flexão dos nove dias de protesto e paralisação dos bombeiros e policiais militares do Maranhão.
 “Este movimento paredista provocou a maior crise institucional no Maranhão, desde a reabertura democrática”, desta forma o petista iniciou seu pronunciamento. A partir do dia 23 de novembro, foram nove dias, de intensos embates, ameaças e tensões.  
Inúmeras tentativas de negociação desde o início de 2011, por intermédio da Comissão de Segurança, do Presidente José Carlos (PT), não prosperaram. No dia 8 de novembro houve a promessa de uma proposta do Governo do Estado que seria apresentada em até 15 dias, fato que não ocorreu.
“A proposta não veio, o que veio foi a Força Nacional, o que veio foi um pedido de ilegalidade do movimento, o que veio foi um pedido de prisão dos líderes do movimento”, protestou Bira.
O parlamentar considerou equivocada e errônea a postura do Governo estadual, quando anunciou que não negociaria com os paredistas até eles encerrarem o movimento.
Bira apresentou uma cronologia dos fatos e contextualizou todo movimento paredista. “No quinto dia, na segunda-feira dia 28 de novembro, tudo parecia perdido quando tivemos uma reunião com o General do Exercito, Gomes Matos Filho. O deputado Neto Evangelista, a deputada Eliziane Gama e vários Deputados Federais, fizemos essa reunião a noite lá no 24º BC. Percebi no dia seguinte que essa reunião foi fundamental porque o general foi ao encontro da Governadora e na oportunidade conseguiu finalmente abrir um canal de negociação com a designação do Senador João Alberto”, explicou o parlamentar.
O Deputado continuou a comentar sobre os fatos ocorridos e revelou que propôs a intermediação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na pessoa do Presidente da Seccional Maranhão Mario Macieira. A partir de então as negociações passaram a acontecer na sede da Ordem. “A OAB, foi a chave para a solução do impasse, negociação difícil, a primeira rodada muito animadora de nove pontos, sete foram acordados, ficou então a questão salarial. A segunda rodada foi um balde de água fria, não se conseguiu avançar e parecia que a coisa ia se desenrolar por mais tempo. E finalmente na terceira e última rodada se conseguiu um acordo graças ao avanço da proposta do governo”, elencou.
O petista apresentou algumas reflexões que podem ser tiradas a partir deste fato. Primeiro ele afirmou que não se pode tratar movimentos sociais, do povo do Maranhão com menosprezo, inconseqüência e irresponsabilidade. Ele lembrou que a polícia é a ponta de lança da segurança no Estado, merece ser tratada com zelo e cuidado.
“Segundo: situações como essa não se resolvem com arrogância, não se resolve com truculência e muito menos com intransigência, é preciso diálogo, é preciso negociação, e por essa razão o Governo errou ao declarar que estavam fechadas as negociações, não deveria, porque o risco era eminente, ninguém tinha controle sobre a situação, qualquer coisa poderia acontecer, e em situações como essa, jamais podemos deixar o canal de negociação”, criticou Bira.
Com relação ao posicionamento do Tribunal de Justiça do Maranhão, no tratamento do movimento dos trabalhadores militares, Bira disse “o Tribunal de Justiça e o Ministério Público, não devem jamais perder o foco da pacificação social, missão muito nobre, de um judiciário contemporâneo, moderno, muito além do positivismo jurídico, tem que colocar a justiça acima da lei e buscar permanentemente um Termo de conciliação, esse é o objetivo nobre do Judiciário contemporâneo.”
Ao se pronunciar sobre a decisão do Presidente da Casa e de alguns parlamentares em cancelarem as sessões plenárias, durante a ocupação dos militares, Bira foi contundente. “O fechamento deste Parlamento é uma atitude abominável, sobretudo em tempos que vivemos, que conceitualmente é considerado tempo de democracia, nós não podemos aceitar em nenhuma hipótese. Já ouvi diversos argumentos do temor, da insegurança que havia com os deputados, o receio de alguns deputados até de transitar na Casa, nada disso justifica fechar o Parlamento, eu não conheço episódio no Brasil de nenhum Parlamento Estadual ter fechado por conta de movimento social de qualquer natureza, eu não conheço precedente na história do Brasil”, constatou.
Bira ainda disse que essa atitude antidemocrática e autoritária só teve o intuito de calar a voz povo do Maranhão. “Fechar o parlamento é calar os representantes do povo, é calar todos nós que fomos eleitos para representar o povo, eu faço esse discurso com veemência, porque quero acreditar que isso jamais se repetirá nessa Casa”, criticou.
Por fim o Deputado exaltou algumas figuras e participações indispensáveis no tratamento da questão. “A OAB e o Exército Brasileiro, ambos se empenharam como poucos pela mediação e por uma solução pacífica; Também destaco os papeis dos parlamentares que se engajaram, que participaram independente de ser situação ou Governo; Faço questão também de frisar o papel e a desenvoltura de setores da Imprensa, não posso generalizar infelizmente, que mantiveram a população informada com equilíbrio e imparcialidade; Também destaco os gestos dos movimentos sociais, vi aqui quilombolas, vi aqui sem teto, vi aqui diversos sindicatos, MST; Faço questão de frisar a postura e principalmente a postura exemplar dos servidores militares, em nenhum momento houve radicalismo da parte deles; É preciso reconhecer a postura dos servidores militares, inclusive para os dirigentes nacionais”.
         Bira encerrou sua reflexão com uma frase entoada pelos quilombolas em todo movimento de luta. Frase que serve de aprendizado e revela que todo poder emana do povo e só o povo pode decidir seu futuro. “Quem não pode com a formiga, não assanha o formigueiro!”

Fonte: http://biradopindare.blogspot.com

Comentários

  1. NOBRE PARLAMENTAR, DEPUTADO ESTADUAL MARANHENSE BIRA DO PINDARÉ NÃO O CONHEÇO PESSOALMENTE, E, NÃO SENDO POSSÍVEL CONHECE-LO RESOLVI POSTAR ESTE COMENTÁRIO COMO FORMA DE RECONHECIMENTO DA SUA ATUAÇÃO JUNTO AO MOVIMENTO DOS MILITARES, POIS DURANTE A PARALISAÇÃO DOS MILITARES MARANHENSES POR VÁRIAS VEZES VIR, LI, E OUVI EM MUITOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DO NOSSO ESTADO, SER NOTICIADO AS MAIS DIVERSAS E PERVERSAS FORMAS DE INTIMIDAÇÃO QUE NÃO SE ADIMITE MAIS EM UM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; FATO ESTE RATIFICADO PELA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 E, VINDO EXATAMENTE DAQUELES QUE JURARAM DEFENDER NOSSA CARTA MAGNA NO EXERCICIO DE SUAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS,AO TOMAR CONHECIMENTO DE TAIS NOTICIAS ME EMBRUTECIA AO OUVI ALGUÉM PRONUNCIAR O NOME DE POLITÍCOS DO NOSSO ESTADO, AINDA BEM QUE VOCÊ ERA UMA EXCESSÃO E,AGORA POSSO CONFIRMAR O NOBRE DEPUTADO CONTINUA SENDO UM DOS POUQUISSÍMOS PARLAMENTARES MARANHENSES QUE MERECE RESPEITO DA NOSSA SOCIEDADE SOFRIDA PELO DESCASO POLITÍCO ADMINISTATIVO QUE SE INSTALOU EM NOSSO ESTADO.CONTINUE SEMPRE ASSIM AMIGO PARLAMENTAR,POIS O POVO MARANHENSE JAMAIS IRÁ ESQUECE-LO,PARABÉNS VOCÊ FEZ E FARÁ SEMPRE A DIFERENÇA ENTRE OS BONS E OS OUTROS, ENTRE OS QUE ENCARAM OS PROBLEMAS DE FRENTE E OS QUE FOGEM OU PASSEIAM E AINDA CRITICAM A AÇÃO DOS QUE NÃO AGEM COMO ELE QUERIA,CASO TIVESSE PODER PARA ISTO.UM FORTE ABRAÇO NOBRE DEPUTADO MARANHENSE BIRA DO PINDARÉ.PARABÉNS.E AO JORNALISTA E BLOGUEIRO JOHN CUTRIM VOCÊ E UM DOS QUE NOTICIARAM FATOS VERDADEIROS DO MOVIMENTO DOS SOFRIDOS MILITARES MARANHENSES..........PARABÉNS MESMO DE CORAÇÃO UM FORTE ABRAÇO.

    ResponderExcluir
  2. EBNILSON VC JA PAROU PRA PENSAR QUE A FORÇA NACIONAL FICARÁ MAIS 3 MESES NO MARANHÃO, E O AUMENTO SÓ SERA CONCEDIDO DEPOIS DO CARNAVAL É MUITO ESTRANHO E O PIOR É QUE A DONA GOVERNADORA NUNCA SE MANIFESTOU DO TAL ACORDO TEMOS QUE FICAR DE ORELHA EM PÉ E AINDA TEM MAIS AS PUNIÇÕES OS TEN CEL ZANONI E BRITO TÃO FAZENDO DE CONTA QUE AKELE PAPEL NÃO VALE DE NADA POIS TÃO DANDO FATD DO LADO DO VENTO SERÁ QUE ELES SÃO MAIORES DO QUE O CARCARÁ JOÃO ALBERTO?

    ResponderExcluir
  3. VAMOS FICAR ESPERTO! VAMOS FICAR DE OLHO ABERTO! VAMOS FICAR ATENTOS, TEM UM PM QUE TRABALHA NA PAGADORIA E INFORMOU QUE FORA DADA A ORDEN PRA DESCONTAR OS DIAS PARADOS SERÁ? É BOM NÓS INVESTIGARMOS PODE TER MUTRETA NESSE ANGÚ É IGUAL AS PUNIÇÕES TEM MUITOS CMT DE BATALHÕES E CIA INDEPENDENTES QUE NÃO TÃO CUMPRIMDO O ACORDO! NOS DIGA ALGO EBNILSON TENTE INVESTIGAR PQ SE VIER ALGUN DESCONTO VAMOS PARAR DE NOVO.

    ResponderExcluir
  4. DE PEDREIRA:

    AFINAL, A PMMA É PUBLICA OU TEM DONO!! PQ AQUI ESSE COMANDANTE DE PEDREIRA MAJ. ONÓRIO JÁ ESTA HÁ 07 ANOS COM MÃO DE FERRO NÃO RESPEITA A FOLGA DO PRAÇA, COLOCA A TROPA DISPOSIÇÃO DO SEU GRUPO POLÍTICO E FALA PARA OS QUATRO CANTO QUE DAQUI NÃO SAI NIGUÉM ME TIRA. SÓ PODE SER DONO DA PMMA.

    ISSO SEM CONTAR O QUE ELE FEZ QUANDO ERA DIRETOR DA D.E DA PMMA .

    PEDREIRA PEDE SOCORRO DAS ASSOCIAÇÕES DO MA QUE VEJAM OS ABUSOS DE PODER, HUMILHAÇÃO,AUTORITARISMO E O PIOR JÁ SE PERPETUANDO COM INTERSSE POLÍTICO.

    ResponderExcluir
  5. Companheiro vou verificar essa situação do desconto, sobre a Força Nacional não sei lhe informar a sua permanência por mais 3 meses, é realmente estranho.

    Caros companh

    ResponderExcluir
  6. Companheiro vou verificar essa situação do desconto, sobre a Força Nacional não sei lhe informar a sua permanência por mais 3 meses, é realmente estranho.

    ResponderExcluir
  7. Caros companheiros, vamos denunciar qualquer tipo de abuso por parte de qualquer superior hierárquico e principalmente desses comandantes de unidades que se acham os detentores da hierarquia e da disciplina não hesitem em denunciar esses abusos, entre em contato conosco para através dos telefones que estão no cabeçalho.

    ResponderExcluir
  8. Professores da rede estadual de ensino podem parar na quarta-feira


    Publicação: 11/12/2011 10:03
    Professores da rede estadual de ensino podem parar na quarta-feira, 14. A direção estadual do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) encaminhou indicativo de paralisação das atividades nas escolas. O sindicato informa que, caso não seja pago aos professores o piso salarial e o reajuste emergencial referentes aos meses de outubro e novembro deste ano, até segunda-feira, as atividades serão suspensas.

    O indicativo é de paralisação no dia 14, porém com possibilidade de greve até que o governo pague o que deve à categoria. A medida, que foi tomada em reunião realizada na última sexta-feira, 9, deverá ser acompanhada pelas demais regionais do sindicato, presente em mais 17 cidades pólos maranhenses, representando todos os municípios do estado.

    A decisão do Sinproesemma representa, segundo a direção, uma reação de repúdio à falta de compromisso do governo do estado, que não vem cumprindo os prazos acordados com a categoria. A convocação dos excedentes do último concurso para nomeação, por exemplo, que deveria ter sido publicada na última quarta-feira, 7, conforme anúncio do governo, não foi cumprida, deixando a categoria e a direção do sindicato indignadas. "Se acontecer o mesmo com relação ao pagamento do reajuste e do piso, vamos dar a resposta ao governo com a paralisação das atividades nas escolas", afirmou o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro.

    ResponderExcluir
  9. Multa por trabalho irregular em folga ou feriado pode chegar a R$ 4 mil


    Agência Senado
    Publicação: 11/12/2011 01:28
    A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira (8) a Lei 12.544/2011, que atualiza o valor da multa aplicada ao empregador que não concede repouso semanal remunerado ao empregado ou deixa de pagar pelo trabalho em feriados. O valor anterior, constante da Lei 605/1949, ainda era definido em cruzeiros.

    De acordo como a nova lei, oriunda do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 43/2011, o valor da multa deve ficar entre R$ 40,25 e R$ 4.025,33, proporcionalmente à natureza da infração, sua extensão e a intenção de quem a praticou. A reincidência e a oposição à fiscalização, além do desacato à autoridade, levarão o infrator a receber a penalidade em dobro.

    O PLC 43/2011 foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS), em decisão terminativaDecisão terminativa é aquela tomada por uma comissão, com valor de uma decisão do Senado. Quando tramita terminativamente, o projeto não vai a Plenário: dependendo do tipo de matéria e do resultado da votação, ele é enviado diretamente à Câmara dos Deputados, encaminhado à sanção, promulgado ou arquivado. Ele somente será votado pelo Plenário do Senado se recurso com esse objetivo, assinado por pelo menos nove senadores, for apresentado à Mesa. Após a votação do parecer da comissão, o prazo para a interposição de recurso para a apreciação da matéria no Plenário do Senado é de cinco dias úteis., no dia 26 de outubro.

    ResponderExcluir
  10. DE TIMON :

    TC. MANOEL ALVES DO BM O SR. DEVERIA É TER VERGONHA DE FAZER UM PLANO DE CARREIRA DESSE,NA QUAL, O CEL FICA NA ATIVA MAS FORA DO QUADRO DE OFICIALATO.AONDE QUE O SR. VI ISSO!!

    O SR. QUE TÁ PRECISANDO SE REFORMAR COM URGÊNCIA PARA SE TRATAR, VAI QUE ESSA DOÊNÇA PEGA.

    ResponderExcluir
  11. Ebnilson, essa tá no blog do Luís Cardoso

    O Governo do Estado, através do Secretaria de Planejamento, desde o início deste ano argumenta não ter dinheiro para investir na segurança pública.

    Desde o início de 2011 vem dizendo aos policiais militares e civis que não dispõe de recursos para reajustar salários ou investir em instrumentos básicos como revólveres, munição e coletes à prova de balas. E o único reajuste dado aos militares, após dez dias de greve, foi de 10,43%, a partir do próximo ano.

    Mas estranhamente o mesmo governo tem investido pesado em segurança privada, o que remete a todo tipo de imaginação.

    São repartições públicas gastando os tubos com vigilância armada. E em muitos casos o número de guardas ou vigilantes não é o mesmo colocado na planilha, como ficou constatado na Secretaria de Estado da Educação, que despeja o maior volume de verbas na segurança privada. Pagam demais para vigilantes de menos.

    Apenas duas empresas levaram agora em novembro, de acordo com o Portal da Transparência do Governo do Estado do Maranhão quase R$ 13 milhões, sendo assim distribuídos: Sentinela Serviços de Segurança, R$ 10.233,078,31; Pacific Segurança (de indicação de Sarney Filho), R$ 2.662.618,44.

    Abaixo, as outras empresas de segurança privada que receberam no mês de novembro deste ano:

    NEW SERV Segurança Privada R$ 556.228,09

    VIP Vigilância Privada R$ 506.716,01

    Masv Segurança Privada R$ 71.940,00

    Cefor Segurança R$ 556.723,64

    Maser Maranhão Segurança R$ 177.814,50

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O espaço de comentários do nosso blog pode tem moderação.
Não serão aceitas mensagens:

01 - Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
02 - Que contenham conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
03 - Que contenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
04 - Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
05 - De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
06 - Que caracterizem prática de spam;
07 - Anônimas ou assinadas com e-mail falso;
08 - Fora do contexto da matéria;
09 - Só poderão comentar usuários que possua conta no Google

Blog do Ebnilson agradece a compreenção de todos

Postagens mais visitadas deste blog

3º Companhia Independente da PMMA( Amarante): Conclusão das primeiras turmas do PROERD em Sítio Novo no Maranhão

INTOLERÂNCIA MILITAR

2º Reunião da Comissão do governo com os militares: Principais Deliberações