São Luís, Patrimônio Cultural e Histórico da Humanidade: Presente, passado e futuro. Parte I

   
Nova viatura do Centro Histórico

Comandante da CPTUR(Companhia de Turismo) fala ao blog do policiamento no Centro Histórico

Na quarta-feira (29/10) o blog conversou com o Major Roberto, Comandante da CPTUR Ind, sobre a dinâmica da Companhia na prevenção e ostensividade do policiamento no Centro Histórico de São Luís.
Major Roberto
A Cptur é uma Companhia da Polícia Militar que está instalada na rua da Estrela no coração do Centro histórico de São Luís.

O local é considerado pela UNESCO, como Patrimônio histórico e cultural da humanidade e visitado por dezenas de centenas de turistas internos e externos. A Companhia é responsável pelo policiamento em toda área do Centro Histórico, cercado pelos imponentes casarões e os azulejos que faz da cidade uma belíssima paisagem arquitetônica colonial.

Major Roberto com as turistas argentinas

O Blog lançara uma séria de reportagem sobre o assunto e além das maravilhas lançara as problemáticas do Centro Histórico que não esconde o abandono do poder público.

PMs na ronda no Centro Histórico

O local conhecido como Reviver, outrora um point da cidade, hoje está relegado ao abandono e a violência é justamente nessas agruras que a CPTUR tem coibido as ações delituosas e criminosas. 

Todavia a falta de congruência entre os poderes tem feito com que os índices de criminalidade tenha aumentando na região e afastado os turistas do Centro Histórico. O local vem sendo povoado por ébrios, mendigos, delinquentes, viciados e pelo tráfico de drogas que vem crescendo em torno do Centro Histórico.
Motorista da CPTUR

O Patrimônio Cultural de todos nós está ameaçado pelo descaso do poder público que simplesmente relegou ao abandono. Quiçá não fosse a Polícia Militar com a CPTUR para de certa forma coibir as ações criminosas e trazer uma sensação de segurança para a comunidade do Centro Histórico.

Comando da CPTUR conversa com os comerciantes do Reviver

O Blog acompanhou o major Roberto na parte da manhã em uma visita que o Comandante fez aos moradores, deixou o gabinete e foi em loco verificar as reais situações do Centro Histórico. Ouviu os moradores, comerciantes, turistas e a população em geral e o que ouvimos dessas pessoas é o descaso do poder público. Vamos ao longo dessas semanas fazer matérias sobre a verdadeira situação do Centro Histórico e demonstra o papel fundamente da Companhia de Turismo no combate ao crime na região.

Comandante conversando com os feirantes do mercado da praia grande

A CPTUR desenvolveu um programa chamado de Reviver com Segurança, de acordo com o major Roberto o Reviver com Segurança é a capacitação dos policias militares da Companhia. 

Comerciante

“O que é o projeto Reviver com Segurança? Ele passa principalmente pela capacitação dos nossos policiais militares. Que capacitação é essa do policial? Entender a funcionalidade do Centro Histórico ,ou seja, entender a história do Centro Histórico, como foi concebida essa história, o que significa os prédios do Centro Histórico, os casarões, os azulejos e a localização. Como se chegou a isso, como foi que se chegou a toda essa recuperação. Então os policiais foram para dentro de uma sala de aula, foram capacitados 60 policiais militares e eles foram entender essa funcionalidade. Ele receberam essas informações de pessoas que realmente conhece o Centro Histórico(...) e sabe de toda história do Centro histórico, para poder os nossos policiais prestarem uma informação mais precisa, mais coesa, mais verdadeira para quem nos visita, seja ele o turista interno, seja ele o turista externo. Então a Secretaria de cultura e Secretaria de Turismo do Estado do Maranhão, eles abraçaram essa causa.(...)”(Major Roberto, Comandante da CPTUR Ind).

Além dessa qualificação e digamos reconhecimento da área, o projeto tem outra etapa que é o curso de ligua estrangeira para os policias afim de se comunicar com os turistas estrangeiros.

Turista interno
No segundo momento, além dessas informações iniciais de conhecimento do Centro Histórico, tínhamos necessidade também de aprender alguma língua, então a segunda etapa do projeto Reviver com Segurança, foi capacitar os nossos policiais, em alguma língua estrangeira. E através da Secretaria de Estado de Turismo, através do PRONATEC que é um programa federal, nós então vamos iniciar, com previsão de inicio no dia 11 de novembro o curso de inglês, onde os policiais, nesse primeiro momento 30 policiais vão se capacitar numa língua estrangeira inicialmente o inglês. O curso vai ser divido em duas turmas: Quinze pela manhã e quinze pela tarde, tendo aulas de segunda a quinta, onde eles vão se especializar em inglês conversação, ou seja, o policial militar vai aprender a falar inglês. O curso é de conversação. Após o curso de inglês, vem o segundo momento que é o curso de francês e depois o curso de espanhol(...) (Major Roberto, Comandante da CPTUR Ind)

O Comandante da CPTUR, falou ao blog do policiamento que está sendo desenvolvido na área. Disse: 

Os feirantes da Praia Grande
Paralelamente a essas capacitações, temos a parte preventiva e ostensiva, eu nem falo parte repressiva. Gosto de usar as palavras preventiva e ostensiva. Que são nossos policiais fardados, trabalhando diuturnamente no policiamento do Centro Histórico, policiamento motorizado, policiamento de viaturas e moto e as vezes excepcionalmente a pé. Hoje no Centro histórico nós temos uma demanda muito grande para atendimento das ocorrências, principalmente envolvendo furtos, roubos e as agressões físicas que são as ocorrências que mais atendemos aqui no Centro Histórico. Dentre as ocorrências de furto e roubo, tem nos preocupado por que? Por que devido o Centro Histórico ser de alta complexidade.(Major Roberto, Comandante da CPTUR Ind)

O Comandante conversou com os comerciantes e moradores da região e as reclamações foram em torno da violência crescente que assola e afasta os turista do  Centro Histórico e com isso os prejuízos no setor econômico vem-se acentuando no comercio local.

Ao centro Dianise

Para Dianise, presidente do Mercado da feira Praia Grande a grande problemática “ são os viciados e os banheiros que viraram ponto de drogas”, disse a feirante.

Dona Ivanilde

Já a Dona Ivanilde, presidente dos sindicatos dos feirantes, falou ao comandante das principais situações que eles enfrentam no dia a dia. “ Nós precisamos de Segurança, nós estamos a mercê da criminalidade. A câmara e a defensoria pública são omissas”, disse a feirante.

Comerciante Vinícus fala com o Comandante
 Para moradora, Carla que vive no Desterro falta projeto sociais para as pessoas do Centro Histórico.

Carla, moradora do Centro Histórico

O que pudemos notar nas reclamações e reivindicações dos moradores e a comunidade como um todo do Centro Histórico é o total abandono por parte do poder público.

Feirante Francisco Sales

Para o feirante Francisco Sales, " O comércio morreu, nós perdemos 60% dos turistas", disse revoltado o comerciante.
A polícia Militar tem feio sua parte, mais sem uma convergência dos poderes constituídos a PM não fará milagres, pois os grandes problemas que foi apontado pela comunidade do setor são as questões principalmente de saúde pública com os viciados que tem perturbado e afastado os turistas que ao mesmo tempo tem causado prejuízos nos comércios da região.

Isso foi só a primeira de várias reportagens sobre o Centro Histórico e o abandono do Patrimônio Histórico da Humanidade. Aguardem.  São Luís, Patrimônio Histórico e cultural da humanidade: Presente, passado e futuro. Parte II.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Companhia Independente da PMMA( Amarante): Conclusão das primeiras turmas do PROERD em Sítio Novo no Maranhão

INTOLERÂNCIA MILITAR

2º Reunião da Comissão do governo com os militares: Principais Deliberações